A apresentação da Candidatura de Miguel Almeida à Junta de Freguesia da Madalena decorreu no Jardim do Tempo e contou com a presença de Eduardo Vítor Rodrigues, candidato à Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, e de Patrocínio Azevedo, Presidente do PS Gaia.

Patrocínio Azevedo iniciou a sessão, cumprimentando Francisco Leite e agradecendo todo o trabalho e dedicação que o atual Presidente da Junta de Freguesia da Madalena realizou pela sua freguesia. “É preciso dar continuidade ao trabalho desenvolvido até à data”, garantiu, enaltecendo a paixão que Miguel Almeida tem para continuar a trabalhar pela sua freguesia.

Por sua vez, Miguel Almeida destacou a sua participação ativa na freguesia, especialmente na área do associativismo. O facto de ter estado nos últimos quatro anos como Presidente da Assembleia da Freguesia permitiu-lhe um conhecimento dos problemas e anseios dos Madalenenses. “Em política, precisamos de muitas pessoas que queiram trabalhar em prol da sua freguesia. Prestar atenção às pessoas é uma necessidade legítima”, disse. Miguel Almeida destacou que as obras que irão desenvolver não serão um fim em si mesmo, exemplificando algumas intervenções como a requalificação do Edifício das Tílias ou a reabilitação das ribeiras.

Para Eduardo Vítor Rodrigues, existem dois balanços num mandato: “aquele balanço que é muito objetivo, como arruamentos e jardins, e depois há um segundo balanço que é articulável com o primeiro, que é o de analisar se a pessoa em causa é boa pessoa e honesta”. Os governantes devem fazer o que está ao seu alcance para que cada cidadão esteja feliz. “O tempo da pandemia foi inóspito. Andamos muito num trabalho abstrato, numa dedicação ativa. Durante este tempo, o Município avançou com testes a todos os idosos. No final, foi possível perceber que a taxa de infetados em Gaia, em comparação com os números da Área Metropolitana do Porto e do país, foram mais reduzidos, o que será, possivelmente, resultado da aplicação mais célere dos testes”, defendeu o candidato que defendeu a importância de cada voto, pedindo aos eleitores para que façam o balanço deste tempo e, se o balanço for positivo, que se empenhem e passem a palavra.