A sessão de apresentação da Candidatura de Maria Adelina Pereira a Presidente da Junta de Freguesia de Arcozelo decorreu no Largo Maria da Fonte e contou com a presença de Eduardo Vítor Rodrigues, candidato à Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, e de Patrocínio Azevedo, Presidente do PS Gaia.

Para Patrocínio Azevedo, a candidata é “uma pessoa metódica, determinada, organizada e foi capaz de planear para além do seu mandato, sendo exemplo disso o “Masterplan” de Arcozelo. Nada se faz de uma forma isolada, mas sim de uma forma articulada entre o poder local e municipal, e o próximo mandato é essencial para se concluir aquilo que o executivo planeou para Arcozelo. Só com uma vitória expressiva será possível fazer de Arcozelo uma freguesia que seja uma alavanca para esta região de Vila Nova de Gaia”, ressalvou.

De seguida, tomou a palavra a mandatária da juventude desta candidatura a Arcozelo, Maria Inês Monteiro. Começou por referir que a tendência dos jovens é a de não olhar para a política. No entanto, por acreditar que os jovens têm uma palavra a dizer sobre o seu presente, e especialmente sobre o seu futuro, reforçou a importância de estarem atentos e serem participantes, sendo necessário fazer escolhas, que se revelam através do voto de cada um. “É nas freguesias que se desenvolve uma política de proximidade e este é o local ideal para se começar a desenvolver o dever cívico de participação”, defendeu Maria Inês Monteiro, terminando com rasgados elogios á atual candidata. “É uma Presidente de Junta muito presente e participativa no dia-a-dia das vivências da freguesia”.

A intervenção seguinte foi do mandatário da Candidatura, Manuel Guedes, que aceitou o convite com “muito gosto e honra”. “É uma candidatura sustentada em princípios e representa a certeza e a oportunidade de uma cidadã independente e isenta continuar a fazer a transformação estratégica que a freguesia precisa”, alavancou.

Maria Adelina Pereira tomou de seguida a palavra, fazendo um balanço dos últimos quatro anos, com referência para a implementação de um projeto multifacetado que visou a mudança, a inovação e, sobretudo, a proximidade com as pessoas. Destacou a implementação do Orçamento Participativo na freguesia, as relações estabelecidas com o tecido empresarial local e a importância da rede social e do investimento na cultura e nos eventos. Destacou a relevância do “Masterplan” de Arcozelo, pretendendo continuar a trabalhar com o que já foi implementado e dar visibilidade à freguesia, uma vez que quer que esta seja uma terra moderna, diversificada e atrativa.

A sessão terminou com a intervenção do Candidato do Partido Socialista a Presidente da Câmara Municipal de Gaia. Segundo Eduardo Vítor Rodrigues, “ter política de proximidade não pode ser um elogio, mas uma obrigação. Ser sério, ter respeito pelas pessoas e ter um projeto de proximidade com as pessoas têm de ser características”, acrescentando: “estarmos ao serviço dos cidadãos deve ser uma forma de ser ou de estar. Se Arcozelo tem um projeto de desenvolvimento, temos de pensar na freguesia enquadrada na cidade de Gaia. Quando o município edifica um projeto de apoio ao arrendamento, que hoje já vai em 850 mil euros, não está a pensar numa freguesia em especial, mas sim em todos os Munícipes. Quando o município cria um Programa de Arrendamento Acessível não está a pensar em valorizar uma freguesia ou outra. O município pensa numa rede entre as freguesias. É na política que nós mudamos o mundo”, afirmou. Eduardo Vítor Rodrigues reforçou ainda a importância do voto, apelando para que o silêncio dos bons não dê origem ao ruído dos maus.